Publicações

Avaliação Psicomotora: quando solicitar?

Ninguém tem desenvolvimento psicomotor perfeito, todos somos dotados de habilidades e facilidades, mas também de dificuldades a serem superadas, é a grande riqueza da diversidade.

Atualmente, algumas das dificuldades que as crianças apresentam, são frutos da vida urbana que "facilita" demais a vida de seus habitantes, proporcionando, por exemplo, subir e descer sem alternar passos, por meio de escadas rolantes e elevadores, mas que "dificulta" o desenvolvimento psicomotor, tornando a importância da parceria entre famílias, escolas e clínica de psicomotricidade cada vez mais relevante.

Os principais aspectos da avaliação psicomotora em crianças são:

• Concentração:
É a atenção associada a um receptor sensorial (audição, visão, propriocepção etc). Muitas vezes a dispersão acontece por inadequação corporal, conforme descrito nos demais tópicos abaixo.

• Tonicidade:
Controle e alternância de força, pois em cada atividade a criança precisa dosar a força necessária para atingir seu objetivo. Muitos professores observam que alguns alunos são dispersos, e alguns realmente são, outros podem ter no excesso de força do lápis sobre o papel seu grande comprometimento.

Ao colocar muita força do lápis sobre o papel, o aluno se cansa com mais facilidade, essa fadiga faz com que perca o interesse pela escrita e, por vezes, pelo estudo. Portanto, a dispersão pode ser decorrente da falta de alternância de força adequada.

• Postura adequada:
Tanto a escrita quanto a leitura podem ser prejudicadas por conta da má postura, pois o organismo tem a tendência de compensar posturas inadequadas para manter atividades, portanto, a preensão inapropriada do lápis pode ocasionar uma postura cifótica (o corpo projetado para frente, pesando em cima do braço que deveria ter soltura para a escrita).

• Equilibração:
A psicomotricidade avalia tanto o equilíbrio dinâmico (em movimento), quanto o estático. A postura inadequada pode alterar o equilíbrio estático em sala de aula, já que em efeito dominó, a partir do momento em que o corpo está curvado, os pés ficam mal apoiados no chão.

Sendo o equilíbrio base para qualquer atividade, o cérebro começa a ficar "atento" ao equilíbrio, dividindo a atenção que deveria ser focada apenas no conteúdo, conseqüentemente, o aluno aproveita menos do que poderia.

• Esquema e imagem corporal:
Muitas crianças reconhecem e nomeiam partes de seu corpo, porém no desenho da figura humana esse conhecimento nem sempre aparece. Essa discrepância ocorre quando a criança conhece o seu esquema corporal, mas ainda não tem percepção adequada dele para construir sua imagem corporal. Essa apropriação acontece por meio de atividades proprioceptivas (vivências corporais).

A comparação do desenho da figura humana com a escrita é instrutiva em aspectos como: noção espacial gráfica, qualidade do desenho, proporcionalidade do desenho e aspectos grafomotores (preensão do material, pressão do lápis sobre o papel etc).

• Lateralização:
É a área responsável pela dominância lateral e pela lateralidade. Dominância lateral é a especialização motora versus sensorial de olhos, ouvidos, mãos e pés. Pode ser cruzada (destro de mão e canhoto de pé, por exemplo), mas NÃO indefinida após sete anos.

A interferência do adulto, durante essa construção, deve ser apenas na qualidade de mediatizador, proporcionando oportunidades de vivências e descobertas corporais e não induzindo a dominância lateral, pois esta é uma opção individual, uma definição neurológica.

A lateralidade é a noção de direita e esquerda, no próprio corpo, no outro e no espaço.

• Estruturação espaço-temporal:
É importante que a aprendizagem deste aspecto psicomotor aconteça a partir da percepção do corpo, que é o principal ponto de referência, pois é a relação do corpo com os diferentes estímulos dos espaços que favorece a sua localização nele.

A estruturação espaço-temporal pode ser entendida como a capacidade de situar-se e orientar-se a si próprio, localizar outras pessoas e objetos num determinado espaço e tempo. É a noção de direção (cima, baixo, frente, trás, direita, esquerda), de distância (longe, perto) e de tempo (na sucessão dos acontecimentos e da duração dos intervalos).

• Praxia:
É o ato consciente e harmonioso diferentemente da coordenação que é o treino da movimentação. A praxia é a união harmoniosa de uma seqüência de movimentos, com o máximo de eficiência, economia e rapidez, quando envolvidas a velocidade e a força. Ela é avaliada tanto em movimentos amplos quanto refinados (na escrita com a letra cursiva, por exemplo).

Algumas dificuldades podem interferir nas atividades da vida diária, comprometendo a realização de funções básicas, quando isso acontece, uma avaliação psicomotora pode indicar possibilidades de superação e acréscimo na qualidade de vida.

By Silvia Baltieri 

© 2013 - Todos os direitos reservados

grupoeficiente@grupoeficiente.com.br